SPFW Line Up!

#SPFW20A
Em 2015, o São Paulo Fashion Week celebra 20 anos de transformações e legado criativo.

A 39ª edição do São Paulo Fashion Week celebra os 20 anos da maior semana de moda do hemisfério sul e homenageia o fazer – o fazer que constrói, inclui, inspira, educa e transforma a partir do trabalho e esforço das mais diversas pessoas, em torno de objetivos comuns. “O fazer é otimista, posiciona, proporciona identidade, dignidade. Nesta edição, vamos falar das pessoas. O poder das pessoas está no fazer, nos elos que se constroem a partir destas relações. É a moda cada vez mais humanizada”, afirma Paulo Borges, diretor criativo do SPFW.

A partir da concepção de Paulo Borges, a cenografia da edição tem projeto e realização da Fresh Design.

O SPFW acontece de 13 a 17 de abril no Parque Cândido Portinari, em São Paulo. Com um calendário intenso, a temporada verão/2016 abriga exposições e ações, mais uma vez levando conteúdo de moda para toda a cidade.
Calendário de desfiles SPFW 39ª edição – Verão 2016

SEGUNDA-FEIRA (13/04)

1 – Animale – 16h00
2 – Uma Raquel Davidowicz – 17h30
3 – TNG – 18h30
4 – PatBo – 19h30
5 – Cavalera – 20h30

TERÇA-FEIRA (14/04)

1 – Paula Raia – 10h00
2 – Osklen – 11h30
3 – Ellus – 15h00
4 – Água de Coco por Liana Thomaz – 16h00
5 – Lilly Sarti – 17h15
6 – Sacada – 18h30
7 – Juliana Jabour – 19h45
8 – Triya – 21h00

QUARTA-FEIRA (15/04)

1 – Isabela Capeto – 10h00
2 – Reinaldo Lourenço – 11h30
3 – Alexandre Herchcovitch – 13h30
4 – Ronaldo Fraga – 15h00
5 – Lolitta – 16h00
6 – Salinas – 17h00
7 – Vitorino Campos – 18h00
8 – João Pimenta – 19h00
9 – Colcci – 20h30

QUINTA-FEIRA (16/04)

1 – Giuliana Romanno – 10h00
2 – Lino Villaventura – 11h30
3 – Patrícia Vieira – 13h00
4 – Acquastudio – 15h30
5 – Lenny Niemeyer – 16h30
6 – GIG Couture – 17h30
7 – Têca por Helô Rocha – 18h30
8 – Iódice – 19h30
9 – Samuel Cirnansck – 20h30

SEXTA-FEIRA (17/04)

1 – FH por Fause Haten – 10h00
2 – Africa Africans Moda* – 11h30
3 – Apartamento 03 – 15h00
4 – Gloria Coelho – 16h00
5 – Adriana Degreas – 17h00
6 – Wagner Kallieno – 18h00
7 – Amapô – 19h00
8 – 2nd Floor – 20h00

*Desfile de designers africanos que integra o projeto de cultura e arte contemporânea “Africa Africans”, do Museu Afro Brasil.

Mais informações para imprensa nacional:
MktMix Assessoria de Comunicação

Credenciamento
Virgínia Ribeiro – spfw@mktmix.com.br
(11) 3060-3640 ramal 3631
Jornalismo
Luís Dolci: luisdolci@mktmix.com.br
(11) 3060-3640 ramal 3630
Camilla Alves: camillaalves@mktmix.com.br

A moda oriental 

há alguns dias venho reparando muito na moda do oriente, como não prestar atenção em um estilo tão ousado, marcante e com uma identidade tão própria !

Todos estão cansados de saber que o Japão é mestre em criatividade, design e inovação.

Uma marca que me chamou muita atenção foi a KTZ que tem a essência japonesa em suas criações, eles fazem um estilo streetwear muito diferenciado e cool, uma mistura de Rei Kawakubi com Jeremy Scott eu diria.

Vale a pena conferir ! 

             

2000 and 90’s

Calças com a cintura mega baixa, faixas de cabelo, gola alta e outras “coisas” que você achou que nunca mais ia ver estão voltando com toda força!!

A década passada e os anos 90 estão batendo na porta das tendências !! Será que os fashionistas vão deixar elas entrarem?!



Moschino-moda ou apelação 

Hoje em discussão estávamos debatendo sobre a Moschino que é uma marca muito forte e conceituada, mas o que foi levantado é se realmente ela tem carga de moda ou simplesmente brinca com o mundo fashion.

Na minha opinião o fato de a Moschino gerar essa discussão já a torna uma ditadora de tendências e a encaixa no mundo da “moda”, não sei o que o Jeremy Scott usa, mas se tiver pra vender com certeza eu quero comprar, a Moschino pra mim é o que se destaca nesse mundo onde a mesmice e a cópia gritam, onde já se viu uma marca que consegue transformar o universo infantil e animado em um produto sofisticado e desejado, se é apelação ou não ele está apelando muito bem então.

Além de ousados e divertidos os desfiles de Jeremy tem identidade e trazem desejo de consumo.

Deixo essa no ar pra vocês, o que acham a respeito ?! Comentem embaixo.

StreetStyle 

A inspiração não vem só das passarelas, a moda de rua e real também pode inspirar muito você, e pode ser tão incrível quanto o que é visto nos desfiles.

Confiram alguns Looks que encontramos e achamos super legais. 



Tendência All Jeans é destaque na temporada

O tecido indispensável no guarda-roupa marca presença nas coleções Inverno 2015

O jeans, que sempre esteve presente nos looks de homens e mulheres, ganha destaque nas coleções de inverno das principais marcas do mundo da moda. A tendência All Jeans, aparece desde as peças como calças e camisas até nos acessórios e calçados.

As marcas Roxy, Lince, Fellipe Krein e Chilli Beans, são nomes que encaixam nesse cenário oferendo produtos perfeitos para combinações casuais e visuais modernos. O destaque fica para a camisa de bolinhas e os relógios que seguem a linha denim.



Dolce & Gabbana “copia ou inspiração”

No último desfile da Grife alguns  dos itens de desejo de consumo eram os fones cravejados que a marca desfilou em sua passarela, até aí tudo bem os fones eram a cara da marca e carregavam uma forte identidade Dolce & Gabbana, mas segundo a coluna de Sônia Racy do Estadão a artisa colombiana Adriana Duque pensa em processar a marca por plágio, uma vez que os fones cravejados são uma marca das obras da artista, nelas são retratadas crianças em quadros renascentistas com os tais  fones como se fossem coroas, outra semelhança encontrada no desfile da grife foram os bordados infantis que lembram muito os bordados do desfile de protesto da estilista brasileira Zuzu Angel, além das caligrafias feitas à mão que lembram muito Valentino.

O que dizer sobre a tal “inspiração” ?

 

Nem Oscar nem grandes eventos, hoje iremos falar da moda de uma outra maneira 

Hoje em aula nos discutíamos o quanto o mercado de moda está saturado, mas estávamos falando não da saturação de profissionais e sim da saturação da mesmice e da falta de ousadia que o mundo fashion enfrenta, o “fazer” uma moda autoral e que busqua a inovação parecia que estava morrendo, o mundo parecia que estava produzindo tudo em uma única marca, a monotonia e  estagnação estavam e estão presentes constantemente nos grandes desfiles, marcas, editoriais e etc. Até os grandes polos de identidade de moda como a Bélgica e o Japão estão entrando nesse triste episódio que parece eterno, ou pelo menos parecia, até que um respiro me deu ar novamente, ao ver um desfile do Alexander Wang  onde as silhuetas femininas tinham um peso puxado para baixo eu vi que a esperança é a última que morre, tal desfile era de uma autoridade e originalidade que nem parecia que estávamos em 2015, então vi o desfile de Gareth Pugh, dramático e original com um pingo de esperança autoral também. 

Ao fim da aula Meu professor olhou para o alto fez uma pequena prece abaixou o olhar no nível dos nossos olhos e disse ” estou agradecendo a Deus que a moda está voltando a ser autoral, se não iríamos ver o seu fim”

Então leitor, qual a sua opinião sobre o assunto ?

Deixem nos comentários !!

AWF15